Quem ensinou Matemática para Alá?

modificado

Texto de Ali Sina (2010). Para ler o original clique aqui

Tradução Khadija Kafir 15/07/2015

Através de meus escritos, eu tenho demonstrado que Maomé era um mentiroso. Neste artigo, mostrarei que pelo menos em um dos casos ele disse a verdade: foi quando disse que era analfabeto.

O Alcorão é repleto de heresias científicas, fiascos históricos, absurdos lógicos, erros gramaticais e falácias éticas. Os mais óbvios são os erros matemáticos.

A lei Islâmica da herança é explicada em muitos versos. Pode-se achar a referência deles nos capítulos “A vaca” (nº 2), “A mesa servida” (nº 5), e “Os espólios” (nº 8). Mas os detalhes dessa lei estão explicitados no capítulo “As mulheres” (nº4).

“Eis o que Deus vos prescreve: Quando morre um de vós, deixando bens e filhos, o filho varão herdará o dobro da filha, e se houver somente filhas, receberão dois terços da herança, mas se houver uma filha só, receberá apenas a metade. Morrendo o filho, cada um dos pais receberá a sexta parte, caso o defunto tenha filhos. Se a herança couber exclusivamente aos pais, a mãe receberá um terço, e o pai, dois terços. Caso o defunto tiver também irmãos, a mãe receberá a sexta parte. Tudo isso depois de executados os legados e pagas as dívidas. Entre vossos pais e vossos filhos, não sabeis quem é mais benéfico para convosco. Tal é a lei de Deus. Deus é conhecedor e sábio. Alcorão 4: 11 (tradução Challita).

A vós, a metade da herança de vossas esposas se elas não tiverem filhos, e a quarta parte em caso contrário, depois de executados os legados e pagas as dívidas. E elas, um quarto de vossa herança, se não tiverdes filhos, e um oitavo em caso contrário, depois de executados os legados e pagas as dívidas. (…) Alcorão 4:12 (tradução Challita)

“(…) Se um homem morrer sem ter filhos, mas tendo uma irmã, ela herdará a metade da herança. E ele herdará todos os bens dela, se ela morrer primeiro sem deixar filhos. Se houver duas irmãs, herdarão os dois terços dos bens deixados. Se houver irmãos e irmãs, caberá a cada homem o dobro de cada mulher. Deus revela-vos Suas leis para que não erreis. Deus está a par de tudo”. Alcorão 4: 176 (tradução Challita).

 Apesar de dizer “para que não erreis”, estas leis estão longe de serem claras.

O verso 4:11 diz que se um homem tem apenas uma filha, ela obtém metade da herança, independentemente de outros herdeiros. Mas uma vez que os mesmos versos dizem que a partilha do filho deve ser o dobro, o filho deve então levar toda a herança. Não é uma discrepância? Há certamente um erro nesta lei.

O problema é agravado quando a partilha dos outros herdeiros – pais e esposas é levada em consideração.

Há casos onde o total das partilhas sinaladas aos herdeiros excede o patrimônio. Por exemplo:

De acordo com os versos acima, se um homem morrer deixando uma esposa, três filhas e dois pais, sua esposa recebe da herança 1/8 (E elas, um quarto de vossa herança, se não tiverdes filhos, e um oitavo em caso contrário. 4:12)

Suas filhas receberão 2/3 (se somente filhas, duas ou mais, a sua partilha é de 2/3 da herança).

E seus pais irão obter 1/6 de sua herança cada (para os pais, um sexto da herança para cada, se o falecido deixar filhos).

A soma dessas partes é mais do que o total da herança:

Esposa com filhos 1/8         = 3/24

Filhas 2/3                             = 16/24

Pai 1/6                                     = 4/24

Mãe 1/6                                 = 4/24

Total                                     27/ 24

Não há divisão suficiente para todos receberem suas respectivas partes. A carência é de 1/8.

Se a esposa não tem filho e as filhas pertencerem a uma ex-esposa do falecido, isto é o que acontece:

Esposa sem filho ¼           =6/24

Filhas 2/3                           =16/24

Pai 1/6                              =4/24

Mãe 1/6                           =4/24

Total                               = 30/24

Neste caso a escassez é de ¼.

A injustiça desta lei é óbvia. Digamos que uma mulher tenha sido casada com um homem por 25 anos e tenha dado filhos a ele. Ela fica com 1/8 da herança, mas se o mesmo homem se casou com uma nova esposa há apenas alguns dias antes de sua morte, a nova mulher irá receber o dobro do que a antiga receberá. Creio que até mesmo os muçulmanos, que são geralmente cegos, podem ver que esta lei é absurda. Os humanos nascem com senso de justiça. Não importa o quão sejam contaminados com falsas doutrinas e lavagem cerebral, certeza tenho de que algum resíduo disso tenha sido deixado para que pelo menos alguns muçulmanos percebam, não somente os erros nos cálculos, mas a injustiça dessas leis e se deem conta de que o Islam não é de Deus.

Tomemos outro exemplo. Digamos que um homem deixe uma esposa sem filho, sua mãe e suas irmãs.

A esposa recebe ¼ da herança (E elas, um quarto de vossa herança, se não tiverdes filhos,…)

A mãe fica com 1/3 (… mas se houver uma filha só, receberá apenas a metade. Morrendo o filho, cada um dos pais receberá a sexta parte, caso o defunto tenha filhos. Se a herança couber exclusivamente aos pais, a mãe receberá um terço, Alcorão 4: 11)

Esposa ¼     = 3/12

Mãe 1/3 =   4/12

Sister 2/3     = 8/18

Total   15/12

Nos exemplos acima, as proporções dos herdeiros excedem o total do patrimônio. Em ambos os casos o total da herança tem a soma de exatamente um antes da conta da partilha ANTES de levar em conta a parte da esposa.

O que deveria ser feito se um homem tiver duas esposas, uma com filhos e a outra sem filhos?

O que deveria ser feito se um homem tiver quatro esposas? Todas as esposas recebem um quarto da herança? Elas não podem, pois não haverá nada deixado para suas irmãs e pais. Será que isso significa dizer que esses ¼ é para todas as esposas, que ficariam cada uma com 1/16?

Esta lei não é só matematicamente errada, mas confusa e injusta.

Digamos que um homem morra deixando para trás seus pais, duas irmãs e quatro esposas. Ignoremos o erro matemático por agora. As duas irmãs irão receber 1/3 cada, mas as esposas ficarão com 1/16 da herança cada. Parece uma divisão justa?

E se o falecido for uma mulher?

O marido recebe metade (no que suas esposas deixam, sua partilha é a metade, se não deixarem filhos).

O irmão fica com tudo (se o falecido for uma mulher, que não deixou filho, seu irmão fica com a herança).

Se o irmão fica com tudo, como é que o marido fica com a metade?

Marido ½   = ½

Irmão   tudo     = 2/2

Total 3/2

Outra vez esta divisão é matematicamente errada e também injusta.

E o que se faz com os pais dela e irmãs? Elas herdam alguma coisa?

Este verso não especifica que os irmãos ficam com tudo somente se não houver outros herdeiros. Apenas diz que se não houver crianças ele fica com tudo. No mesmo caso, diz que se um homem morrer deixando irmãs, ela fica com a metade. O que acontece com as outras?

Aqui temos outro caso absurdo. Uma mulher falece e deixa o marido, uma irmã e a mãe:

Marido ½     = 3/6

Irmã ½   =   3/6

Mãe 1/3         =2/6

Total = 8/6

Os fundos são 1/3 menores!

Fica claro que em matéria de herança o Alcorão é muito obtuso. Esses erros são elementares. É difícil crer que Deus não saiba adicionar frações simples. São erros feitos por um homem muito iletrado.

As leis da herança são tão obtusas que os Xiitas e Sunitas as praticam diferentemente. Por exemplo: Se um homem deixar uma esposa e dois pais, os Xiitas darão à mulher ¼ da herança inteira primeiro, e daí distribuir o resto entre os outros herdeiros. Os xiitas fizeram uma hierarquia na herança. Os beneficiários da hierarquia mais alta recebem sua partilha primeiro e o que quer que seja deixado fica dividido na hierarquia mais baixa. De acordo com esta provisão, as partilhas recebidas pelos beneficiários não são as mesmas indicadas no Alcorão (ver #2741)

Os sunitas dão à esposa 1/4, à mãe, 1/3 e ao pai é contado como o parente masculino mais próximo e fica com o resto de 5/12.

Para resolver esses problemas os juristas islâmicos desenvolveram uma complexa ciência chamada “Al-Fara’id”. Ela contém regras do que são “Awl” e “Usbah”, e as leis do “Usool” e o “Fara’id”, as leis do “Hajb wa Hirman” e muitas outras leis relacionadas a essa matéria.

A lei de “Awl” (alojamento) trata de casos em que as partes do herdeiro excedem ou “superam” a soma da herança total. Nesses casos, as porções são ajustadas para acomodar todos. Veja como funciona:

Esposa 1/8 = 3/24   é mudado para 3/27

Filhas 2/3   16/24   é mudado para 16/27

Pai 1/6     4/24     é mudado para 4/27

Mãe 1/6     4/24   é mudado para 4/27

Total   27/24     é mudado para   27/27

Para o segundo caso:

Esposa 1/4 ou 3/12         é mudado para 3/15

Mãe 1/3 ou 4/12           é mudado para 4/15

Irmãs 2/3 ou 8/12                 é mudado para 8/15

Total 15/12               agora fica 15/15

O problema é resolvido graças ao engenho humano, mas não sem violar o Alcorão. Cada parte tem de renunciar ao seu direito na quota. É um caso claro em que as palavras de Alá precisaram de intervenção humana para serem aplicáveis. Os muçulmanos foram forçados a distorcer o Alcorão para conseguir fazê-lo funcionar.

Há também casos onde as partilhas dos herdeiros não somam um total de 100%, o que deixa uma sobra.

Por exemplo um homem que morra e deixe sua mulher e seus pais.

Pais 1/3   = 4/12

Esposa 1/4 = 3/12

Total 7/12

Quem vai receber o saldo de 5/12 da herança?

Os casos seguintes são outros exemplos onde haverá sobra de herança:

Cenário.                       Distribuição dos fundos.               Sobras

Somente a esposa                     1/4                                           3/4

Somente a mãe                          1/3                                          2/3

Somente a filha                           1/2                                        1/2

Duas filhas                                  2/3                                         1/3

Somente uma irmã                  1/2                                           1/2

Mãe e Irmã                                1/3 + 1/2=5/6                         1/6

Uma esposa e a mãe               1/3+ 1/2 =5/12                     7/12

Uma irmã e uma esposa        1/2+1/4=3/4                             1/4

Em todos esses casos e em muitas outras combinações há uma sobra. O que acontecerá a esta sobra? Quem vai herdar?

Para lidar com este problema a lei do “Usbah” foi concebida. Esta lei regula as partilhas não reivindicadas, em que não há pessoa para receber. É claro que se o Alcorão fosse claro e sem erros, não haveria necessidade de todas essas “ciências” e emendas.

A lei de Usbah é baseada no hadith seguinte:

Sahih Bukhari 8.80.724

Relatou Ibn ‘Abbas:

O profeta disse: “Entregue o Fara’id (a partilha da herança prescrita no Alcorão) para aqueles que devem recebê-las. O que quer que sobre, deve ser dado ao parente masculino mais próximo do falecido”.

De acordo com essa lei, um homem que morra e deixe somente sua filha e que não tenha parente masculino próximo a não ser um primo em segundo grau, sua filha herdará a metade da sua herança e a outra parte irá para o tal primo do homem. Parece bem injusto com a filha, mas seria particularmente injusto se o homem tivesse uma tia necessitada, ou uma prima em primeiro grau, que não receberia nada porque nasceu com o sexo errado.

Agora vamos supor que um homem não tenha herdeiros a não ser sua esposa e um parente masculino distante. A esposa receberá ¼ e o parente masculinos distante fica com o resto. Ele recebe três vezes mais do que a esposa. A esposa que sacrificou sua necessidade para guardar aquele dinheiro agora fica com ¼ daquilo que deveria ser só dela. Isso é justiça?

O que dizer se o falecido não tiver parentes do sexo masculino? O que irá acontecer com o resto de sua herança? O que acontece se o falecido for uma mulher sem parentes? O marido recebe a metade da herança, quem fica com a outra metade?

Percebam que no alcorão não existe prioridade para a distribuição da herança. O que os Xiitas fazem é chamado de bid’a – uma inovação que os torna heréticos. Em nenhuma parte do Alcorão está escrito “entregue primeiro a estes e do que sobrar entregue àqueles”. Mesmo se tivermos que reinterpretar essas leis e priorizá-las na ordem cronológica em que são mencionadas, mesmo assim não funciona porque nesses casos, cada herdeiro subsequente iria ter sua porção encolhida. Também na maioria dos casos o montante total nunca será usado.

Esses erros são claros e não podem ser negados. Todavia, os crentes são cegos. Numa tentativa de refutar este artigo, o muçulmano Sami Zaatari diz: “Se A (o/a falecido/a) deixar uma viúva ou viúvo, a porção da viúva ou do viúvo deverá ser calculada primeiro, como no verso 4:1”.

O senhor Zaatari deve nos mostrar a instrução no Alcorão. Não há referência no Alcorão para que priorizemos certos herdeiros e dividamos o resto entre os outros herdeiros. Esta é a heresia que os Xiitas comentem e Zaatari não é nem mesmo um Xiita. O fato permanece que o Alcorão, em matéria de partilha é errado matematicamente.

Agora vejam outro caso obtuso. Um homem tem apenas uma filha e dez filhos. De acordo com o Alcorão, a filha recebe a metade, enquanto os filhos irão partilhar a outra. Então cada um vai ficar com 1/20 da herança. E isso contradiz a outra parte da lei que diz que o homem deve receber o dobro de cada mulher.

Claro que os muçulmanos tem praticado o Islam por 1400 anos, e de alguma maneira eles conseguem fazer essas leis confusas funcionarem. Como? Eles reinterpretam e as ajustam.Os sunitas colocam toda a herança de lado e ajustam para cada homem o dobro de cada mulher. A solução, embora satisfaça de um lado, contradiz a outra.

Apesar de todas essas incongruências e erros o problema real com essas leis não é o fato de não se encaixarem. O problema é na injustiça que elas incorporam. Uma pessoa de mente justa não se exime de perguntar por que as filhas recebem a metade do que um filho recebe? Por que as filhas devem receber menos que os irmãos? E por que um viúvo tem que receber o dobro de uma viúva? Por que para o homem o dobro do que recebe a mulher? Todas as esposas devem compartilhar ¼ da herança se não têm filhos e 1/8 se têm. No primeiro caso cada esposa irá receber 1/16 da herança e no segundo caso 1/32. Por outro lado um homem que perca todas as quatro esposas irá herdar a metade do que elas tiverem. Não é a fórmula para enriquecer os homens e empobrecer as mulheres? É mais fácil esquecer os erros matemáticos do Alcorão do que esquecer a injustiça.

O verso (4:174) diz que “Homens, agora tendes uma prova enviada por vosso Senhor, e fizemos descer sobre vós uma luz manifesta. Como podemos ver, as leis podem ser tudo menos esclarecidas. Elas não se batem, as porções não estão bem definidas e nem distribuídas justamente. Depende dos muçulmanos decidirem se Alá não pode adicionar frações simples, é confuso e injusto; ou que o Alcorão é ditado por um apedeuta. Ou um ou outro! Você decide.

___________________________________________

Sobre o autor: Ali Sina é o pseudônimo de um ex-muçulmano nascido no Irã, que atualmente mora no Canadá. É um dos críticos mais respeitáveis da religião islâmica e também um dos mais ferrenhos. Fundador do fórum FAITH FREEDOM INTERNATIONAL (http://www.faithfreedom.org), que ajuda ex-muçulmanos em todo o mundo, ALI SINA também é autor de várias obras, entre elas Understanding Muhammad (Para entender Maomé), com tradução em progresso.

Anúncios

Um comentário em “Quem ensinou Matemática para Alá?

  1. Estou ha 2 meses no islam. Porem sou espirita universalista. Acho que certamente Allah sabia destas aparentes discrepancias que foram colocadas por ele de proposito para cada um mostrar o que tem no coraçao: ou o senso de justiça ou a obediencia cega a palavra dele ou tambem se a pessoa iria se aproveitar dos textos sagrados para se dar bem. Precisamos ter em mente que se Deus permite que o islam tenha mais de 1 bilhao de adeptos e cresça tanto e porque ele sabe como encaixar todas as peças do grande quebra cabeça que envolve o destino da humanidade. Nao estou defendendo nem criticando. So que aprendi no espiritismo que nada existe ou acontece que nao esteja na sabedoria de Deus inserida. Ate mesmo um ex-islamico segue sendo filho de Deus e esta propagando a vontade dele que e ajudar a dispertar consciencias. A questao toda e que Deus sabe a intençao das pessoas. Por ex: eu trabalho com djins do bem porem os muçulmanos nao aceitam isso. Entao o que faço: trabalho com eles mas nao adoro eles. Deus sabe todas as coisas e como encaixa-las. O homem e que e limitado. Se eu disser que um humano pode se arrepender e sair do inferno isso escandalizaria eles. Mas a verdade absoluta nao pertence a religiao nenhuma. O mais importante e fazer o bem e melhorar nossos defeitos. E isso leva milhoes de anos ou ate bilhoes. Deus nao deserda seus filhos e tambem nao tem pressa. Todos chegarao a perfeiçao mais cedo ou mais tarde. O islam e apenas uma peça do grande quebra cabeças. Depois conheceremos religioes muito mais avançadas em outros mundos. Um abraço a todos e que Allah abençoe a todos nos.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s